quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Thalita Rodrigues e a superação de limites


Foto: divulgação
 
A tenista Thalita Rodrigues, 18, é considerada uma das promessas do esporte brasileiro para as Olimpíadas de 2016. Ela está em quarto lugar no ranking até 18 anos da Confederação Brasileira de Tênis (CBT). O mais impressionante é que Thalita nasceu sem o antebraço esquerdo. Sua mãe contraiu rubéola durante a gravidez, o que acarretou a deficiência.
Como se não bastasse, a tenista não possui preparador físico, nem nutricionista. Mais: não tem patrocínio, apenas o apoio da loja Real Esporte, que realiza a troca de cordas de sua raquete. Thalita só viaja pelo país para participar dos campeonatos porque o patrocinador da CBT oferece passagens e hospedagem para os 30 mais bem colocados no ranking por categoria.
Thalita teria tudo para desistir. No entanto, sua força de vontade fez dela um exemplo de superação. Apesar da deficiência, da falta de patrocínio e de preparador físico, ela venceu os próprios limites e está se destacando como tenista. Já foi campeã de três torneios de duplas, e disputou o torneio classificatório profissional do Aberto de Brasília.

É até irônico. Vemos tantas pessoas sem nenhum tipo de deficiência, em condições econômicas superiores às de Thalita, e que não realizaram um décimo do que ela já conquistou. Pior: quantos jovens dessa idade que ganham tudo de mão beijada e estão por aí enchendo a cara, tirando racha, traficando drogas, queimando e batendo em mendigos?
Essa garota é realmente um exemplo para todo mundo. Parabéns, Thalita!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário